sexta-feira, 28 de novembro de 2008

O Ponto Zero e a Mudança das Eras

A ciência tem vindo a reconhecer importantes mudanças no campo magnético da Terra. O ápice do processo, que segundo alguns especialistas deverá ocorrer em poucos anos, provavelmente provocará a inversão do sentido da rotação da Terra e a inversão dos seus pólos magnéticos.
O geólogo norte-americano Greg Braden é um dos maiores investigadores do fenómeno. Braden trabalha a partir da interface ciência-esoterismo e tem demonstrado, com provas científicas, que a Terra tem estado a passar pelo Cinturão de Fotões e que há uma desaceleração na rotação do planeta. Braden também apoia a ideia do aumento da Ressonância de Schumann. Para este, quando a Terra perder por completo a sua rotação e a Ressonância de Schumann alcançar o índice de 13 Hz, iremos encontrar-nos no que chama Ponto Zero do campo magnético. Segundo Braden, a Terra ficará parada e, após dois ou três dias, recomeçará a girar só que na direcção oposta. Isto produzirá uma total inversão nos campos magnéticos terrestres.

O campo magnético da Terra encontra-se a diminuir significativamente. Como um dos fenómenos que costuma preceder a inversão do magnetismo polar é a redução deste campo, Braden acredita que outra inversão deve estar para acontecer. O campo agora mede apenas 0,4 gauss. Nos últimos 30 anos, esse campo não tem só diminuído, mas está também a tornar-se irregular. Os pássaros, que o utilizam para migrar, estão agora a ir parar a outros locais. Ocorre o mesmo com outros animais, como os golfinhos e as baleias. Eles utilizam as linhas geomagnéticas para migrar. Estas, que estavam estacionadas por milhares de anos, agora mudaram. Algumas dessas linhas movem-se para áreas no interior dos continentes e essa é a razão pela qual muitas baleias e golfinhos têm encalhado nas praias. As linhas geomagnéticas, que sempre guiaram a sua migração, agora levam-nos para a terra. Nas últimas duas semanas de Setembro de 1994, o mundo experimentou uma oscilação do campo geomagnético. Pilotos de todo o mundo foram forçados a aterrar manualmente os seus aviões porque o campo geomagnético terrestre começou a mover-se. De Junho a Outubro e parte de Novembro de 1996, tivemos uma anomalia muito maior e mais longa. Especialmente durante Julho e Agosto daquele ano. O Pólo Sul estava realmente a mover-se. Alguém que tivesse uma bússola preparada, veria que o Pólo estava a mover-se numa base diária e, às vezes, horária. Em um ponto, de acordo com Greg Braden, o Pólo Sul realmente moveu-se para longe por poucas horas. Essa informação pode ser facilmente observada. Veja um mapa aeronáutico qualquer, em qualquer grande aeroporto, antes de Junho de 1996. Depois, pegue num novo (tiveram de refazer os mapas para poder aterrar os aviões) e compare-os. Você verá que a correcção de erro para o Pólo Norte magnético mudou, o que quer dizer que o Pólo Sul se moveu. Então, tudo ficou quieto até recentemente. Houve alguns momentos de oscilação, mas não muitos.

Braden lembra que o Ponto Zero ou a Mudança das Eras vem sendo predito por povos ancestrais há milhares de anos. A Terra efectua um movimento de rotação em relação ao seu próprio eixo em 23h 56min 04s. Este movimento de rotação tem a direcção contrária à dos ponteiros do relógio (sentido directo) e origina a sucessão dos dias e das noites. A velocidade de rotação tem o seu valor máximo no equador e é nula nos pólos. Afirma-se que, depois do Ponto Zero, o Sol nascerá no Oeste e se porá a Este.Ocorrências passadas, deste mesmo tipo de mudança, foram encontradas em registos ancestrais.
Greg Braden defende que as mudanças na Terra estão a afectar cada vez mais os nossos padrões de sono, relacionamentos, o sistema imunológico e a percepção do tempo. Tudo isso pode envolver sintomas como enxaquecas, cansaço, sensações eléctricas na coluna, dores no sistema muscular, sinais de gripe e sonhos intensos. O tempo parecerá acelerar-se à medida que nos aproximarmos do Ponto Zero. Durante o fenómeno da mudança, aponta ele, a maior parte de tecnologia que conhecemos deverá parar de funcionar. Possíveis excepções poderiam ser em aparelhos com tecnologia baseada no "Ponto Zero" ou Energia Livre.
Para finalizar, Braden defende também que o nosso corpo físico está a mudar à medida que nos aproximamos do Ponto Zero. O nosso DNA estaria a ser ampliado para 12 fitas na sua hélice, ao mesmo tempo em que um novo corpo de luz começaria a ser criado. Como consequência, os seres humanos se tornariam mais intuitivos e com maiores habilidades curativas.

Vídeo:



Nota: este vídeo apresenta apenas a 1ª parte, as restantes encontram-se no Google Video.

Sem comentários: