sábado, 24 de janeiro de 2009

Nibiru - Hipotético 10º planeta do Sistema Solar

Nibiru é o nome de um corpo celeste da cosmologia suméria e é também o nome de um hipotético planeta pertencente ao Sistema Solar proposto por Zecharia Sitchin.
A Suméria é geralmente considerada a civilização mais antiga da humanidade. Localizava-se na parte sul da Mesopotâmia entre os rios Tigre e Eufrates e segundo dados arqueológicos, surgiu em meados do quarto milénio a.C. Esta civilização possuía bastantes conhecimentos a vários níveis, entre eles, conhecimentos astronómicos avançados. Parece que os seus observatórios obtinham cálculos do ciclo lunar que diferiam em apenas 0,4 segundos dos cálculos actuais e que tinham informações precisas sobre todos os planetas do sistema solar, incluindo Plutão (que só foi descoberto em 1930!).
Um especialista em cultura suméria é o historiador, linguista e escritor, Zecharia Sitchin. É um dos poucos estudiosos do mundo capaz de traduzir a escrita cuneiforme (assim chamada porque escreviam em plaquetas de argila com um estilete em forma de cunha), característica das civilizações mesopotâmicas. Sitchin tem traduzido os escritos das placas sumérias encontradas em pesquisas arqueológicas e tem escrito livros contendo essas traduções e as suas interpretações sobre o assunto.
Segundo este, na cultura suméria Nibiru é o 12º planeta do Sistema Solar (incluindo todos os outros 8 planetas e Plutão e denominando o Sol e a Lua como planetas). De acordo com as suas investigações e traduções, tratar-se-ia de um planeta que gira em torno do Sol numa órbita elíptica extremamente alongada (o que o torna invisível à observação na maioria do tempo), de cerca de 3600 anos. Segundo Sitchin, Nibiru e as suas duas luas teriam colidido catastroficamente com Tiamat, outro planeta hipotético localizado por Sitchin entre Marte e Júpiter. Esta colisão teria formado o planeta Terra, a Lua, o cinturão de asteróides e os cometas. Tiamat seria assim o que é agora conhecido como Terra. Os sumérios teriam descrito Nibiru como sendo quatro vezes maior do que a Terra, de cor avermelhada e responsável por grandes catástrofes na Terra (como o dilúvio citado na Bíblia) durante as suas passagens através do nosso Sistema Solar.

Os estudiosos do legado sumério têm-se se questionado como seria possível que uma civilização tão antiga tivesse informações tão precisas sobre astronomia, numa época onde supostamente não havia equipamentos tecnológicos? A resposta poderá estar no trabalho de Zecharia Sitchin. Segundo este, o conhecimento sumério sobre o sistema solar só poderia ser obtido por meio de uma fonte externa que fosse capaz de viajar pelo espaço e observar esses eventos. Assim, atribui a criação da civilização suméria aos Annunaki (ou Nefilim), uma raça extraterrestre. Há 6000 anos atrás, os Sumérios teriam conhecido um planeta chamado Nibiru e os seus visitantes, descritos pelos antigos como "raça de deuses". O linguista acredita que estes seres extraterrestres conviveram com os antigos mesopotâmicos e foram seus instrutores. Comparando as mitologias da Criação de diferentes culturas, verifica-se a coincidência de alguns mitos, que são recorrentes nas referências a uma colonização ou instrução das primeiras nações humanas por seres superiores, que vieram do espaço. Parecem existir artefactos e tabuletas cuneiformes que se referem a um planeta de onde vieram viajantes cósmicos. Há quem defenda que a herança destes aparece na avançada tecnologia dos sumérios e de outros povos ao redor do mundo.

Se os sumérios estavam correctos em relação aos planetas reconhecidos hoje, porque não poderiam estar igualmente correctos em relação a Nibiru?
De facto, há uma presença constante em muitas lendas e escritos antigos que refere um certo planeta ou astro que visitaria a Terra periodicamente. O aparecimento cíclico desse corpo celeste parece estar milenarmente ligado a catástrofes e fins de civilizações. Este corpo celeste tem sido denominado de diversas formas: na Bíblia é encontrado com o nome de Absinto, os Sumérios referem-se a Nibiru (que significa planeta da passagem, da travessia) e Marduk, entre os maias chama-se Estrela Baal, segundo os gnósticos e espiritualistas é Hercólubus. Outros nomes encontrados são Barnard I, Anã Vermelha, Némesis, Ra. Seja qual for o nome, todos parecem referir-se ao mesmo corpo celeste.
O seu período orbital varia entre os seus defensores, há quem afirme que seja cerca de 6600 anos, outros afirmam que é de 3600 anos. Há relatos de um ancião maia que diz que os maias conheciam este astro e que lhe atribuem um período orbital de 6500 anos, visitando a Terra 4 vezes em cada ciclo de precessão (26 000 anos).
Alguns atribuem-lhe a causa do desaparecimento da Atlântida e da Lemúria, bem como a causa da extinção dos dinossauros, e vêm nele (ou melhor, na sua aproximação) o verdadeiro causador das diversas catástrofes naturais que a Terra tem sofrido. Defendem que possui uma enorme força gravitacional e que irá, entre outros efeitos, provocar a verticalização do eixo da Terra, gerando uma série de cataclismos que irão transformar totalmente a face do planeta.

Nos tempos modernos, a (re)descoberta de Nibiru ocorreu em 1930 pelos astrónomos norte-americanos William Pickering e Percival Lowell, que o denominaram “planeta X”. Os estudos sobre o planeta X intensificaram-se nos anos 70 e investigadores como Joseph Brady, Thomas Van Fladern e Robert Harrington também concluíram sobre a sua existência, baseados em estudos sobre alterações nos comportamentos orbitais de Plutão e seus satélites, chamaram-no de “planeta intruso”. Mais recentemente, estudos de Plutão mostram que determinadas peculiaridades da sua órbita - e também das órbitas de Urano e Neptuno – apenas podem ser explicadas pela existência de um planeta desconhecido.
Em 1983, o satélite IRAS (Infrared Astronomical Satellite) registou um enorme corpo celeste, na direcção da constelação de Órion, possivelmente tão grande quanto Júpiter e que poderia fazer parte do nosso Sistema Solar. Há quem afirme que seria Nibiru.

Correm rumores de que Nibiru já pode ser visto, mas que as suas observações têm sido escondidas do público em geral. Como prova de tal, dão o exemplo de no Google Sky haver uma área adulterada na constelação de Órion, onde acreditam ser-se visível Nibiru. Aparentemente, parece que tal se deve a um erro de processamento de imagem do programa. Há ainda quem afirme que Nibiru será visto em primeiro lugar em Maio de 2009 - como um pequeno objeto vermelho – em locais muito ao Sul da Terra (extremo Sul do Chile e Argentina) e que em Maio de 2011 haverá visão a olho nú por todas as pessoas.

Acerca da existência deste planeta, há muitas vozes discordantes. Há quem defenda que as traduções de Sitchin de palavras isoladas e de partes maiores de textos antigos estão incorrectas e que certos argumentos seus estão baseados nas suas interpretações pessoais dos textos. Há também quem afirme que a contagem total de planetas descodificados é de apenas 7. O selo sumério VA 243 tem 12 pontos que Sitchin identifica como sendo planetas. De acordo com Michael S. Heiser (historiador e linguista), o suposto Sol no selo VA 243 não é o símbolo sumério para o Sol (o símbolo no selo VA 243 não tem semelhança com o mesmo símbolo do Sol em centenas de inscrições sumérias), mas uma estrela e os pontos também são estrelas.
Outro aspecto questionado, entre muitos outros, é o de como tal astro está tão próximo para influenciar a Terra com o seu campo gravítico, mas não pode ainda ser observável pelos telescópios? As leis dos movimentos planetários dizem-nos que se existisse um objecto que interferisse na órbita da Terra em tão pouco tempo, este já se encontraria no interior da órbita de Saturno e facilmente seria detectado quer por astrónomos amadores, quer profissionais. Os defensores de Nibiru afirmam que a sua passagem é rápida, daí ainda não ser visível…

No entanto, muitos parecem acreditar na existência deste corpo celeste e nas suas consequências, acreditando que ele virá em breve para realizar a limpeza física e espiritual na Terra, necessária para o surgimento de uma nova Terra.


Vídeos:



11 comentários:

Anónimo disse...

Por favor, gostaria de saber a fonte de sua postagem sobre Nibiru?Tatiana

Third_Eye disse...

Olá Tatiana!
Este post não tem uma fonte definida, pois é fruto de várias pesquisas na internet sobre o assunto, explorando as diversas informações lá existentes acerca de Nibiru, quer pelos seus defensores quer pelos cépticos.

Anónimo disse...

Gostaria de saber onde encontrar o livro 12 Planeta em português já que está esgotado e não disponível nas livrarias...

Third_Eye disse...

Caro anónimo, não fazemos a mínima ideia onde o possa encontrar... Quem sabe nalguma biblioteca? Alguém conhecido que lho possa emprestar?...

NINJA disse...

A Bíblia Meus caros , Tudo se encontra nela, Apocalipse 8 e 9 fala de Absinto... Não quero prestar um testemunho enganoso mas ainda não tenho certeza se a estrela de que a biblia fala é Nibiru.

2012 - PORTAL disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Decorare disse...

Aos que se interessam pelo assunto, podem pesquisar melhor nos livros de Zecharia Sitchin como, O 12° Planeta, Encontros Divinos, Codigo Cosmico, Guerra dos Deuses entre outros.
Leiam, pensem...

Anónimo disse...

O Livro 12° Planeta pode ser encontrado em diversas lojas de livros usados. Dica, visitem o site da: http://www.estantevirtual.com.br
Qualquer duvida envie-me um e-mail para: empreendedorismo2009@gmail.com

Anónimo disse...

Meu blog faz uma referência ao seu blog. Ele é muito interessante!
Meu blog é http://wanista.zip.net

ZORN disse...

SAUDAÇÕES DOS IRMÃOS DAS ESTRELAS AOS IRMÃOS TERRÁQUEOS. A ESSÊNCIA INTELIGENTE QUE DORMITA DENTRO DE CADA UM DE VOCES GUARDAM AS RESPOSTAS, CONSCIÊNCIAS DESPERTAS E DESPROVIDAS DE PRECONCEITOS MUNDANOS ACESSAM AS INFORMAÇÕES REGISTRADAS DOS ANCESTRAIS, QUE SÃO VOCES MESMOS NUM OUTRO VÓRTICE DE TEMPO DAS EXISTÊNCIAS, TUDO OCORRE PERFEITAMENTE DENTRO DO MOVIMENTO MAIOR DO TODO, NÃO HÁ MOTIVO DE PÂNICO, POIS TUDO JÁ ESTAVA DEFINIDO, SOMOS PEÇAS ATIVAS DE UM GRANDE JOGO DA PROVIDÊNCIA DIVINA.
SE QUERES COLABORAR COM TODAS AS HUMANIDADES TRANSFORME SEU MUNDO INTERIOR, SALVE VOSSA CONSCIÊNCIA ETERNA ATRAVÉS DO BEM, DO AMOR E DO JUSTO QUE SÃO CAPAZES DE PROPORCIONAR, A VIDA CONTINUA PARA TODOS, SEMPRE, A ESCOLHA DE ONDE E COMO ELA SE MANIFESTA, CABE A SUAS BOAS ESCOLHAS. PAZ AOS HOMENS DA TERRA. ZORN

yang_30 disse...

E quem seria o ZORN ?