terça-feira, 21 de junho de 2011

Debate

O lado dos cépticos e dos menos cépticos.





Restantes Partes:

http://www.youtube.com/watch?v=3KFC8ZRNg7Q

http://www.youtube.com/watch?v=fuKYq_HCE2g

http://www.youtube.com/watch?v=2lefgW6oYtE

4 comentários:

alf disse...

têm sido levantadas muitas hipóteses para tentar explicar a imensa destruição ocorrida cada vez que houve uma «grande extinção», como a dos dinossaurios. Como a nossa imaginação é limitado, só somos capazes de colocar como hipótese aquilo que conhecemos: meteoros, vulcões, ejecções solares, supernovas, etc.

A única coisa que se pode provar é que nada disso é capaz de produzir a destruição verificada no passado; é algo muito pior.

Tropecei no fenómeno quase por acaso, quando precisei de fazer previsões da actividade solar.

Felizmente, alguma coisa se pode fazer para minorar as suas consequências; só que é preciso primeiro que os cientistas percebam o que é.

alf disse...

Só agora descobri este blogue, tenho estado a ver os vários posts; excelente a informação sobre os Maias. Apenas um reparo: tanto quanto julgo saber, há muitas dúvidas quanto à interpretação do calendário Maia. A data de 12/12/2012 foi escolhida há não muito tempo pela sua conveniência, mas a sua relação com o calendário Maia deve ser muito confusa.

Presumo que a seguir a essa data surja uma nova interpretação a dizer que o calendário afinal apontava outra data... não muito distante porque senão perde-se o interesse... Não sou contra, se não fosse assim ninguém ligava nenhuma e estas coisas não se prevêm ao dia, é melhor preocuparmo-nos e estudarmos o assunto.

Entretanto, também não deixa de ser interessante despiolhar o assunto; basicamente os Maias terão suportado dois acontecimentos destes e isso serviu-lhes de base a definirem um período. Conseguir tornar isso claro parece-me importante, porque a partir do momento em que as pessoas consciencializarem que isto acontece com intervalos de 10.000 a 20.000 anos (penso eu), e que a última vez foi há 12.900 anos, podem começar a levar o assunto mais a sério; a indicação de datas precisas para fenómenos destes tem algo de ridículo para quem não é crente.

Por isso, convém deixar em aberto os dois lados - o dos crentes e o dos cépticos; para estes, datas como 12/12/12... descredibilizam o assunto, por isso é preciso apresentar também uma visão alternativa mais pragmática. Penso eu...

Third_Eye disse...

Olá Alf, um obrigado da nossa parte :)
Por acaso já conheço o "Outra Margem" há uns 3 anos, descobri-o quando procurava informação sobre a actividade solar :) Na altura fiquei maravilhada com a quantidade e qualidade de informação q estava nesse blog, bem como a maneira em q estava a ser apresentada, e em Português! Penso que na altura teremos trocado uns comentários no blog... de vez em quando vou lá visitá-lo e ler as "novidades" :)

Em relação a 21/12/2012 concordamos consigo, sabemos q há muita controvérsia em relação à data do fim do calendário de contagem longa... mas essa data continua a ser de algum modo uma referência acerca deste assunto de fim dos tempos(se bem q mais recentemente fala-se pela net num 2012 antecipado para 2011, a partir de Agosto, penso q rumores relacionados com o suposto cometa Elenin e a sua interacção com a Terra e com o Sol).

O nosso blog tenta apresentar as informações de uma forma imparcial e pragmática (o que nem sempre poderá ter acontecido, dado termos as nossas ideias e estas também irem de certa forma influenciando o q partilhamos e também, evoluindo, mudando)... O intuito é mesmo mais divulgar, questionar, fazer pensar.

O Alf parece ter as ideias bem assentes, talvez fosse boa ideia ajudar os cientistas a perceberem o "assunto" e a minorarem as consequências... se é q já não o estão a fazer :)

alf disse...

Third Eye, o vosso blogue é muito interessante. A vossa atitude é correcta, não temos que fazer presunções sobre o que ignoramos, temos de manter o espírito aberto.

O Newton estudou profundamente os escritos religiosos, fez experiências de alquimia; os seus biógrafos dizem que isso deve ter sido por ele ter possivelmente sofrido um evenenamento nas suas experiências alquímicas que lhe afectou o cérebro!!! Os não-descobridores não conseguem entender a cabeça dos descobridores.

Quem quer entender o Universo só tem de seguir o exemplo de Newton e procurar debaixo de toda a pedra. E vocÊs estão a procurar muito bem.